Será que vai dar "match"? Como processos seletivos de profissionais de captação podem ser mais assertivos.

Engenheiro Civil com pós-graduação em Administração de Empresas e MBA pela Universidade Mackenzie e capacitado como consultor em mobilização de recursos no The Giving Institute (AAFRC), nos EUA em 2005. Após 18 anos dedicados à construção pesada junto à iniciativa privada, considerou que era possível disponibilizar sua experiência profissional e pessoal para organizações no terceiro setor. Nos últimos 20 anos atuou na direção de ONGs com comprovado impacto social. Foi diretor de operações do CDI – Comitê para Democratização da Informática (atual Recode) por oito anos; diretor executivo do Programa Conexão (voltado para a capacitação profissional de jovens para o mercado de trabalho), por dois anos e diretor executivo de Habitat para a Humanidade Brasil, em São Paulo – braço da rede internacional Habitat for Humanity – por quase 10 anos. Dedica-se em tempo integral à MOBILIZA – consultoria estratégica em Captação de Recursos e Desenvolvimento Institucional – disponibilizando sua experiência profissional de quase 40 anos para o fortalecimento de organizações e seus líderes que buscam aumentar o impacto de suas ações por meio de organizações transparentes e financeiramente equilibradas.

DESCRIÇÃO DA PALESTRA

Quais são os pontos mais relevantes nos processos seletivos de posições de captação de recursos tanto para as organizações como para os profissionais? Vamos conversar sobre as competências fundamentais, como a experiência do profissional deve ser apresentada e muitos outros fatores que impactam um processo de recrutamento e seleção de um profissional na área de captação de recursos.

PALAVRAS-CHAVE:
#valorizaçãoprofissional; #competênciasparacaptação; #contrataçãodeprofissionais